LA Clippers bate de frente com Golden State Warriors e realiza uma virada histórica

Texto por João Vitor Gimenez

Jogadores do LA Clippers comemorando a vitória em cima do Golden State Warriors

O LA Clipers venceu, no dia 18 de abril, na segunda rodada da pós-temporada (playoffs), o conhecido por ser o melhor time da liga norte-americana de basquete (NBA). O Golden State Warriors ganhou, nas últimas quatro temporadas, três títulos de campeão, perdendo apenas para o Cleveland Cavaliers de 2016, onde atuavam as estrelas LeBron James e Kyrie Irving. Na temporada atual, os Warriors terminaram a fase regular em primeiro, enquanto os Clippers, em oitavo, o que lhes garantiu a última vaga nos playoffs.

A vitória contra este elenco por si só já é um grande feito, mas o que a equipe realizou naquela noite foi um marco histórico. Já no 3° quarto de jogo, o placar era de 94 x 63 para o Golden State. Com 31 pontos de vantagem, até o mais pessimista dos fãs acreditava que a equipe de São Francisco já havia decidido a partida. O aluno do 2° ano, fã do time que representa a cidade de Milwaukee do estado de Wisconsin, Guilherme Curi, afirmou: “Não esperava este resultado desde o começo, ainda mais quando o Golden State abriu uma vantagem de 30 pontos. Ninguém esperava”.

Junto com ele, o aluno Pedro Antonio Gonçalves, grande fã da franquia dos Warriors, quando perguntado se o resultado final da partida havia correspondido às suas expectativas, respondeu: “Na real, ninguém, nem os mais fãs da NBA, esperavam a virada dos Clippers”. Logo após, ele completa: “É surpreendente, para qualquer um que acompanha os jogos da liga, ver essa virada histórica logo em cima do Golden, com 4 All-Stars no time. Então, não é um feito que alguém consiga facilmente”.

O jogo começou às 23h30 (horário de Brasília). Por isso, durante o 3° quarto da partida, foram vistas muitas televisões sendo desligadas e até alguns fãs indo dormir. O próprio Guilherme fala que fez o mesmo: “Estava vendo o jogo e, quando vi que estava 30 pontos pro Golden, desliguei a televisão. Depois de um tempo, vi o placar pelo Instagram. Então, surpreendido, liguei a TV e vi os 3 minutos finais”. Pedro Antonio coloca, durante a entrevista, que a defesa do time derrotado “dormiu na marcação” e ainda elogiou jogadores da equipe vencedora. Com 19:30 minutos restantes num jogo de 48, o time de LA  foi um dos poucos que não dormiu naquela noite e entra para o livro dos recordes com a maior virada num jogo de pós-temporada.

Anúncios

Arte em tempos de Instagram

Texto por Ana Luiza Badialle

A arte transcende as barreiras digitais constantemente para se fazer presente no nosso cotidiano. Compreender e absorver tão bem o nosso contexto  é uma de suas maiores facetas, afinal, apesar de sermos responsáveis pela nossa existência, não deixamos de ser produto de nossas épocas como seres inerentes à tecnologia que nos gira em torno.

Mas afinal, como isso acontece nesses tempos tão digitais? Atualmente, temos em nossas mãos um objeto que é quase uma extensão de nossos corpos, nossos celulares. E por que não usá-los para se aproximar dessas produções registradas em fotos? Por que acontece esse afastamento se as redes sociais são tão fáceis de acessar? Convenhamos, precisamos parar de associar arte ao estilo exclusivamente clássico ou exclusivamente um absurdo pós-modernista.

A arte está por aí esperando pelo seu clique, esperando por minutos de sua atenção e é crucial envolvermos um pouco de reflexão e expressão (seja qual for) nas nossas timelines que imploram por uma pausa de conteúdos imediatistas. Você também precisa dessa pausa. E claro, é totalmente compreensível que muitas vezes você abre a rede social só para se distrair com algo bobo, mas às vezes, vale a pena dar uma chance para aflorar seu gosto por literatura, gravuras, montagens, fotografias, performances, entre muitos outras vertentes que ainda podem ser descobertas por suas vontades.

Pensando nessa desconstrução, aqui vão alguns perfis de artistas no Instagram que merecem sua apreciação e talvez acodem esse seu interesse adormecido pela arte. Susano Correia (@susanocorreia), por exemplo, é um artista brasileiro que faz desenhos sobre as angústias recorrentes do cotidiano. Com legendas e títulos poéticos, sua obra é totalmente introspectiva e dá voz ao existencialismo presente em nosso cotidiano. É muito fácil se identificar com suas ilustrações e muito simples de compreendê-las pelo motivo dele retratar aflições comuns com uma poesia grafada sem igual.

Foto de perfil (@susanocorreia)

Já Cindy Sherman(@cindysherman), é uma artista estadunidense, cujas obra são voltadas para o audiovisual. Desde a década de 1970, a artista faz fotografias distorcidas de inúmeras situações, com grande foco nas relações do ser humano com o meio externo que o rodeia. De forma curiosa e, muitas vezes, surreais, ela captura a essência quase assustadora de si mesma. Seu perfil é totalmente voltado para suas produções, todas em fotografia que devem ser usadas para apreciar sua criatividade e crítica a relação de nossos egos e vaidades na contemporaneidade.

Foto de galeria (@cindysherman)

A poesia também deve ser valorizada nas redes sociais, por isso a escritora Thalita Coelho (@coelhothali), em seu perfil pessoal, publica diversas poesias extremamente sensíveis e fortes. Seus temas recorrentes são voltados para suas vivências como mulher na sociedade e reflexões cotidianas em seus poemas. A identificação gerada por suas palavras é instantânea.

Quando se trata de ilustrações que representam a simplicidade na beleza dos traços, a artista Sophia Andreazza (@sophiandreazza) usa sua conta para postar seu trabalho crítico e lírico. Assim como a artista visual, Cajila Barbosa (@cajila), que faz gravuras, valendo a pena acompanhar pelo talento e delicadeza. Enquanto a ilustradora estadunidense, Olivia de Recat, faz representações criativas e inteligentes de múltiplas situações, revelando, de forma simples, muito de seu talento e perspicácia.

Arte de Sophia Andreazza (@sophiandreazza)
Arte de Cajila Barbosa (@cajila)

Não é à toa que inúmeras pessoas fazem uso das ferramentas presentes no Instagram para divulgar e aproximar as pessoas de sua arte. As fotos publicadas criam uma narrativa da pessoa que queremos apresentar. Há quem diga que o Instagram pode ser considerado um “bloco de notas” para os artistas, afinal, pelo aplicativo é totalmente possível medir a adesão que o público possui de seu trabalho.

A rede social torna cotidiano e popular o “fazer” e compartilhar arte. Você vai à uma exposição e compartilha milhares de stories, um artista faz uma publicação de uma foto abstrata, e você compartilha porque de alguma forma a arte mexeu com você. Valorizar a arte em nossa modernidade pode proporcionar um pouco mais de consciência naquilo que consumimos.



Texto por Victória Lopes

1- Prioridades

Procure sempre começar a fazer as tarefas que tem o prazo de entrega mais curto.

2- Listagem

Faça uma lista com todos os seus afazeres e compromissos, se necessário organizar com canetas coloridas e post-its.

3- Importância

Se por algum motivo não for possível fazer tudo, selecione aqueles que você considera mais importante de acordo com seu próprio critério. O mesmo serve para suas atividades.

4- Alertas

Caso você tenha medo de esquecer algum compromisso, coloque alarmes em seu telefone e escreva recados em sua agenda.

5- Tempo

Não tente fazer tudo ao mesmo tempo, realize um trabalho de cada vez e se faltar alguma coisa deixe para o dia seguinte. Se uma das lições for para a última hora, tente dormir mais cedo e acordar mais cedo para fazê-la, funciona melhor do que dormir mais tarde.

6- Colisões

Procure deixar espaços livres entre seus afazeres caso algum imprevisto aconteça, assim não vai se preocupar em fazer tudo correndo.

7- Distrações

Evite contato com aparelhos eletrônicos para focar em poder terminar suas tarefas a tempo, assim não vai se distrair e nem precisar se preocupar com o tempo.

Alunos do primeiro ano visitam PETAR

No primeiro passeio organizado pela escola Jean Piaget para o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) alunos visitam complexo de cavernas, aprendem sobre a cultura local e ainda praticam boia-cross.

Alunos praticando boia-cross (Foto: divulgação Terra Nativa)

“Uma experiência única”, a mesma frase foi usada por três alunos, em ocasiões diferentes, para descrever o PETAR. No meio da selva de concreto em que vivemos, momentos de genuíno contato com a natureza vem se tornando, infelizmente, cada vez menos valorizados, mas, geralmente são eles que criam as mais belas memórias e as mais incríveis aventuras.

A viagem para PETAR se iniciou no dia 26 de abril. Após cinco horas de estrada, os alunos do primeiro ano do Jean Piaget, acompanhados pelo professor Bruno Joaquim e pelo segurança Carlos Peci, chegaram no parque, e, sem perder tempo, foram visitar a Caverna do Diabo e uma cachoeira. A noite, eles tiveram um intercâmbio cultural com um guia local, descendente do homem que descobriu o complexo de cavernas, onde eles aprenderam sobre a importância das cavernas para a região e como é a vida no PETAR.

No segundo dia os alunos se dividiram em dois grupos, um visitou a Caverna de Santana, conhecida por suas belas estalactites, e o outro, duas cavernas menores, a de Couto, conhecida por ser o local onde ocorrem os casamentos na região, e a de Morro Preto, especial por sua cachoeira. Os dois grupos também visitaram, em momentos distintos, a Caverna Água Suja, uma das mais distintas da região, caracterizada por ter mais de três quartos de sua área coberta por água.

Na manhã do terceiro, e último, dia, os alunos praticaram boia-cross, esporte típico da região, que consiste em descer uma correnteza segurando em uma boia, curiosamente, tal esporte teve a origem no próprio parque. No começo da tarde os alunos pegaram a estrada de volta para Santos, deixando o PETAR para trás, e levando para casa memórias de “uma experiência única”.


Cinco das 100 pessoas mais influentes da revista TIME

Texto por José Vitor Giusti

Existem vários assuntos que são cada vez mais debatidos em rodinhas de amigos e até em conversas com desconhecidos. Em sua maioria são sobre cinema, séries, política, futebol e música. O que muitas vezes não percebemos é que há sempre um nome associado à algum desses temas.

Quando é comentado sobre política,  por exemplo, é possível logo vir a cabeça a imagem de Jair Bolsonaro, Donald Trump, Kim Jong Un e outros nomes conhecidos do meio. Isso acontece pois essas pessoas têm uma grande influência em nossa sociedade.

Contudo, a revista americana TIME fez uma lista das 100 pessoas mais influentes do mundo no ano de 2018. O Fala JP! decidiu fazer um perfil sobre cinco delas e falar sobre os motivos de elas estarem ali. Nessa lista são citados pioneiros, artistas, líderes, ícones e titãs.

Pioneiros – Sandra Oh

Sandra Miju Oh

Uma atriz canadense de 47 anos que conseguiu um feito histórico ao ser a primeira mulher de origem asiática a ser indicada a um Emmy de melhor atriz em toda a história.  Além ter feito grandes atuações em séries conhecidas e aclamadas pela crítica como Grey’s Anatomy e Killing Eve, já ganhou um Globo de Ouro e tem papéis conhecidos no mundo cinematográfico. Ela não é apenas uma atriz, ela é Sandra Miju Oh, mais conhecida como Sandra Oh.

Artistas – Mahershala Ali

Mahershala Ali

Talvez pelo nome você não o reconheça, mas Mahershala Ali teve um papel de muita importância no filme vencedor do Oscar de 2018, Green Book: O Guia, fazendo o papel de Dr. Don Shirley, pianista afro-americano que faria uma turnê com sua banda pelo sul dos Estados Unidos, em 1962. Ele também garantiu a estatueta de Melhor Ator Coadjuvante e, por incrível que pareça, essa não foi a primeira vez que recebeu o prêmio. Em 2017, estrelando o Moonlight, outra produção ganhadora do Oscar de Melhor Filme, ele foi o vencedor da categoria de Melhor Ator Coadjuvante pela primeira vez. Mahershala também teve participações em filmes e séries conhecidas como Luke Cage, Alita: Anjo do Combate, House of Cards, Estrelas Além do Tempo, True Detective, O Curioso Caso de Benjamin Button, Jogos Vorazes e Homem Aranha: No Aranhaverso.

Líderes – Greta Thumberg

Greta Thumberg

Para muitas pessoas, a política é um assunto em que a experiência vale como um argumento para se persuadir alguém e que adolescentes não devem debater pois “não tem idade para isso”. Bem, de uns tempos pra cá, esse conceito vem sido mudado. É o caso de Greta Thumberg, menina sueca de 16 anos, ativista política que já fez vários movimentos contra as mudanças climáticas no mundo inteiro. Um dos mais conhecidos foi o “Fridays For Future”, que a levou a ser indicada ao Prêmio Nobel da Paz. Outro ponto chama atenção é o fato dela ser autista.

Ícones – Spike Lee

Spike Lee

Spike Lee,  americano 62 anos, é um cineasta renomado no mundo cinematográfico, já ganhou mais de 20 prêmios de pura importância, sendo dois deles um Oscar Honorário e Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Spike tem um papel na  história do cinema afro americano, pois foi um dos primeiros diretores negros que conseguiu ter algum espaço no mundo cinematográfico.

Titãs – Mohamed Salah

Mohamed Salah

No Brasil, o rei do futebol é o Pelé, na Argentina é o Maradona, e para o Egito é Mohamed Salah, tendo apenas 26 anos. Jogador do Liverpool da Inglaterra, Salah teve os dois melhores anos da vida dele nas temporadas 2017/2018 e 2018/2019. Ele venceu a artilharia da Premier League com 32 gols em 38 jogos, o Prêmio Puskas de gol mais bonito do ano 2018 e foi indicado a 3° melhor jogador do mundo naquele ano. Sem contar que ele ajudou a seleção do Egito a voltar para a disputa da Copa do Mundo depois de 28 anos.