Pensa positivo, CARA!

Texto por Rafaela Collaço

Foto: Divulgação Vida em Sintonia

Sabe aquela história de que você atrai o que pensa? Então, é real. Uns físicos da vida estudam a relação entre o universo e as ondas eletromagnéticas lançadas por nós, nas quais são emanadas por meio de cada pensamento que temos. Nesse contexto, eles estudam a lei da atração, que é justamente o poder de nós atrairmos o que desejamos! Muito louco, né? Não vou entrar muito em detalhes sobre isso, mas se você quiser saber mais, tem um documentário chamado “O Segredo”, encontrado facilmente na Netflix, que explica tudo de um jeito mais científico e maluco haha.

Enfim, a parada que está em jogo é, o que vocês já deveriam esperar de mim rsrs, pensamentos positivos!!! Não to esperando que você seja uma fada que saia jogando glitter de otimismo por aí. Estou querendo dizer que eles podem super ajudar você a atingir seus objetivos! Até porque, se tem uma coisa em que nós somos essencialmente bons em fazer, é nos subestimar. Tipo, nós temos uma bela capacidade de pensar que só porque tiramos uma nota baixa em uma matéria, nós nunca iremos recuperar e nunca passaremos no vestibular. Ou então de sonhar grande e pensar que só porque é uma realidade muito distante da nossa, nós jamais conseguiremos atingir tal sonho. SÓ QUE ISSO NÃO TEM NADA A VER! A lei da atração está aí para provar que se você realmente pensar positivamente, as coisas vão se desenrolar.

É óbvio que não basta só ficar sentado, olhando pro teto e pensando tipo “nossa quero muito ser famoso” e não fazer nada pra mudar seu estado atual. Isso é inércia, meu caro, não lei da atração haha. Muitos desses caras famosos, como o Einstein e o Martin Luther King, citam a lei da atração e veja só onde eles chegaram! Ela é a base para tudo! É tipo o fermento do bolo. Para fazer um bolo, você precisa de uns ingredientes além do fermento, mas sem o fermento ele não cresce! É disso o que eu estou falando! Se você foi mal em um simulado, não significa que cravaram no seu nome antes de você nascer e que você irá fracassar para sempre em todas as provas de alternativa. Só significa que você não foi bem dessa vez. E o que você tem pra fazer agora? Estudar e acreditar que consegue ir bem, porque ambos juntos atuam como aqueles ingredientes e o fermento do bolo! É só acreditar verdadeiramente nos seus sonhos e lutar por eles que, logo menos, eles se tornam realidade! Então, relaxa, cara!! Por hoje é só. tchau 🙂

Anúncios

RELAXA, CARA!

Texto por Rafaela Collaço

Foto: Katie Lambert

Você deve estar se perguntando sobre o que bulhufas uma coluna chamada Good Vibes vai falar. Na real, eu também estou. A ideia é trazer good vibes pra sua vida por meio de mensagens que poderão ajudar você a lidar melhor com problemas do ensino médio, tipo pressão, família, vestibular, competitividade, autoestima e talz. Mas que fique claro: isto não é uma coluna de auto ajuda!!!! É apenas um meio de dar um help e trazer umas vibes boas pra sua vida! Às vezes pode aparecer umas paradas mais hippies por aqui, como meditação e mindfulness.

Enfim, hoje, como primeiro tema, eu e a equipe do Fala JP decidimos falar sobre não se preocupar tanto. Essa parada se resume a qualquer coisa que te preocupe e te traga uma bad. Ou seja, não significa que você não deva se preocupar com absolutamente nada – até porque se você conseguisse fazer isso você se tornaria uma pessoa fria e bad vibe, que é o que nós não queremos, né?

Recentemente eu li um livro irado chamado “A sutil arte de ligar o f*da-se”, de Mark Manson. Eu provavelmente vou falar muito dele aqui porque é realmente um livro insano. Em um dos capítulos, o autor cita a seguinte frase: ligar o f*da-se é encarar os desafios mais assustadores da vida e agir.

Inúmeras coisas fazem nós nos preocuparmos, seja na escola com uma nota baixa, seja na vida social com um julgamento de alguém mesquinho sobre nosso novo corte de cabelo, ou na nossa casa naqueles momentos em que nossos responsáveis desacreditam de nós. E o que nós temos a fazer? Agir! Depois de dar umas choradinhas, claro.

Mas o que está em jogo aqui é não eternizar essas choradas. É clicar no botãozinho do f*da-se e bola pra frente, saca? Porque nós que estamos vivendo nossas vidas e não nossos pais. Essas mini coisas nos pedem para que tenhamos tal atitude. Porque, ou sofremos com uma bola de neve gigante de mini coisas, ou aprendemos a lidar com elas. É óbvio que não é tão simples assim sair ligando o botãozinho, mas só de ter isso na mente já ajuda. Por hoje é só, tchau 🙂