7 dicas de livros LGBTQ+

1- Variações Enigma

Escrito por André Aciman, o romance conta a vida amorosa de Paul, um jovem adulto bissexual, de maneira delicada e apaixonante. O autor também é responsável por outro livro LGBTQ+, “Me Chame Pelo Seu Nome”, que se tornou bem mais conhecido após o lançamento de seu filme em 2017. “Variações Enigma” retrata as relações do protagonista com ternura e encanto, trazendo personagens complexos e cheios de emoção.

Foto: Divulgação

2- Over The Rainbow

O livro é dividido em cinco contos de fadas, sendo eles: “Bela e a Fera”, “Rapunzel”, “Branca de Neve”, “Cinderela” e “João e Maria”. Todos foram adaptados para que se tornassem histórias LGBTQ+. Com uma proposta diferente e inovadora, o livro consegue cativar seu público para que sintam-se acolhidos e representados na leitura.

Foto: Divulgação

3- Garota Dinamarquesa

Inspirado em uma história real com personagens fictícios, “Garota Dinamarquesa” aborda com suavidade a vida de Lili Elbe, nascida como Elinar Wegener, datada como a segunda pessoa a realizar cirurgias de redesignação do sexo na história. Diferentemente do imaginado, o livro não acontece como se fosse uma biografia e, sim, como uma história narrada com narrador observador.

Foto: Divulgação

4- Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens

A trama conta a história de Simon, o adolescente que quer “sair do armário”, mas ao mesmo tempo é chantageado pelo valentão da escola após trocar mensagens com um outro garoto em anônimo. O desenvolvimento do livro aborda bastante a questão de se assumir como um homossexual, principalmente para a família. Tudo isso com calma sem atrapalhar o resto da história.

Foto: Divulgação

5- Submerso

O romance juvenil conta a história de um garoto solitário chamado Dimitri, que é forçado por sua família a ir para um acampamento. Com isso, surge uma relação amorosa completamente terna entre dois rapazes, deixando toda a questão de “sair do armário” bem delicada. O rapaz vai ter que aprender a lidar com os problemas já complexos de sua vida e com sua vida amorosa.

Foto: Divulgação

6 –  Todos, nenhum, simplesmente humano

Após trocar de escola e se ver sendo alvo de bullying, Riley cria um blog com objetivo de desabafar tudo que sente. Embora apresente-se como uma história descontraída, “Todos, nenhum, simplesmente humano” é um livro real e profundo tratando toda a questão de “definição de gênero”. Os sentimentos da personagens são expostos por capítulo e vão dando ao livro um ar ainda mais aconchegante para o leitor.

Foto: Divulgação

7 – Boy Erased: Uma Verdade Anulada

O livro, que recentemente virou um filme, conta a história de um jovem gay morador de uma pequena cidade do Arkansas. Como se já não fossem características suficiente para descrever Jared, ser católico e de família conservadora é mais uma delas. O garoto tem que fazer escolhas que envolvem as opiniões familiares e como o mesmo se sente a respeito. A história tem personagens cativantes e não deixa nada a desejar. Uma leitura perfeita e maravilhosa.

Foto: Divulgação
Anúncios

7 musicais que você precisa ver

Texto por Bernardo Louzada

Musical Aladdin na Brodway (Foto: Divulgação Brodway.com)

Para quem não sabe (poucas pessoas), eu sou muito fã de musicais, então escolher apenas sete foi uma dificuldade! Tomara que você goste =)

Annie

O espetáculo foi baseado na história em quadrinhos de Harold Gray, estreou na Broadway em 1977 e ganhou sua 1ª montagem oficial brasileira em 2018, dirigida e estrelada por Miguel Falabella (Will Stacks). O enredo trata da história de uma menina órfã que vive no orfanato da senhora Hannigan com mais 06 meninas. Tudo muda quando a garota é notada por Will Stacks, um milionário que também é candidato à prefeito, e por fins de campanha, leva-a para a sua residência. No desenrolar da história Annie conquista o coração do candidato e ele vê que fez a coisa certa.  

Hairspray

Em 1960, uma adolescente de Baltimore nos EUA, Tracy Turnblad, apaixonada pela dança, se inscreve para participar de um programa local chamado The Corny Collins Show e é aceita. Da noite para o dia, ela torna-se uma celebridade e eleva seu estilo irreverente de dança no show. O fato de ser popular é suficiente para terminar o reinado de Corny e provocar uma integração racial na cidade.

Família Addams

O musical apresenta uma história original de uma das famílias mais famosas do mundo. Teve sua montagem na Broadway em 2010 e no Brasil em 2012 . A trama ocorre em torno de Wandinha que se torna uma jovem mulher e arruma um namorado. Para o resto da família (Gomez, Mortícia, Feioso, Tio Fester, Tropeço e  a Vovó) esse é um acontecimento que irá virar de cabeça para baixo a residência, quando eles são forçados a organizar um jantar para o jovem e seus pais.

Wicked

Wicked conta a história de duas amigas improváveis, Elphaba, a Bruxa Malvada do Oeste e Glinda, a Bruxa Boa do Norte (Bruxa Boa do Sul nos livros de Baum). Elas se tornam melhores amigas, mesmo com personalidades opostas,  diferentes pontos de vista, a rivalidade das duas em relação ao interesse amoroso por um mesmo homem e a reação ao governo corrupto do Mágico de Oz. Teve sua 1ª montagem em 2003 nos teatros da Broadway e no Brasil em 2016 com Myra Ruiz (Elphaba) e Fabi Bang (Glinda). Curiosidade: 1 em cada 3 atrizes de musical querem ou já quiseram fazer a Elphaba.

Billy Elliot

O enredo gira em torno de Billy, um menino que quer ser bailarino contra a vontade do pai. A história de sua luta pessoal e realização tem como fundo o conflito de sua família e vizinhança, causados pela greve dos mineiros britânicos (1984-1985), em County Durham, no nordeste da Inglaterra. O roteiro de Hall foi inspirado em parte pelo romance de AJ Cronin, de 1935, sobre a greve de mineiros e canção a The Stars Look Down, que é a abertura do musical. O espetáculo conta com letras e arranjos de Elton John e o resto das letras são escritas por Lee Hall, que escreveu o do filme também. No Brasil, a montagem foi feita pela produtora Atelier de Cultura, que contou com versões inéditas das músicas.

Escola do rock

Inspirado no filme de mesmo nome feito em 2003, o musical de Andrew Lloyd Webber leva ao teatro a história conduzida pelo personagem Dewey Finn, um músico que se passa por professor substituto e monta uma banda de rock com seus alunos. No Brasil é interpretado por Arthur Berges, que sua a camisa (literalmente). O espetáculo está em cartaz no Teatro Santander até 15 de dezembro.

Mudança de hábito

Quando a cantora Deloris Van Cartier vê seu namorado mafioso Vince LaRocca cometer um homicídio, ela é transferida, para a sua proteção, para um convento na Califórnia. Deloris começa a mudar a vida tranquila das irmãs. Em um esforço para mantê-la longe de problemas, eles colocam Deloris no coro do convento, o que ela logo transforma em um ato vibrante que ganha atenção generalizada e a igreja que era patética vira um ponto de apreciação na cidade.

Bônus

Cargas D’água

Um menino perde a sua venerada mãe e acaba por esquecer o seu próprio nome, pois, seu padrasto, agora o único membro da família, só o chama por “moleque”. Tudo muda quando ele faz um amigo nada comum, um peixe, e começa a ver toda a sua história com outros olhos. Agora ele tem uma missão: levar seu amigo (que sempre viveu em aquário) para ver o mar. Uma missão que seria muito fácil se ele não tivesse inventado de contornar o país inteiro por dentro antes de sair no litoral. Em sua jornada, o moleque acaba encontrando distintos personagens que o ajudam ou atrapalham, e de alguma forma, o obrigam a enfrentar os maiores medos dos homens.

Shrek

Shrek vive em um pântano e, de repente, seu sossego é interrompido pela invasão de personagens de contos de fadas que foram banidos de seu reino pelo maldoso Lorde Farquaad. Determinado a salvar o lar das pobres criaturas e também o dele, Shrek faz um acordo com Farquaad e parte para resgatar a princesa Fiona. O musical é de 2008 e foi estrelado por Brian d´Arcy James (Shrek), Sutton Foster (Fiona) e Daniel Breaker (Burro). O espetáculo está na íntegra no Netflix, mas para deixar um gostinho esse é o último número do musical.

Aladdin

Inspirado na clássica animação da Disney, o musical conta a história de Aladdin, um jovem humilde que esfrega uma lâmpada mágica e tem três desejos concebidos pelo gênio. Seus desejos visam conquistar a jovem a qual se apaixona na trama, uma princesa que está a escolher um cônjuge. Em um de seus desejos, o menino pede ao gênio que o transforme em um príncipe para conquistar a confiança de seu futuro e desejado sogro. O espetáculo está em cartaz em muitos teatros pelo mundo: Alemanha, Japão, Nova Zelândia, Estados Unidos e Inglaterra.

Se você acha que faltou algum musical muito bom ou que você goste muito comenta aqui embaixo e quem sabe pode rolar uma 2ª edição dessa lista. Espero que tenha gostado!

Texto por Victória Lopes

Tartarugas Até Lá Embaixo – John Green

No romance de John Green, Aza e sua melhor amiga Daisy se propõem a solucionar o desaparecimento de um bilionário da cidade. O livro aborda questões como a crise de ansiedade, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e relação familiar em volta da trama principal, fazendo com que a história seja bem construída e concluída. Todos sabemos que Green é um mestre na escrita e isso fica claro em “Tartarugas até lá embaixo”!

Morte no Nilo

Se você é daqueles que gosta de quebrar a cabeça com um bom mistério, o livro “Morte no Nilo”, de Agatha Christie,  é exatamente o que você procura! Quando Mr. Poirot achou que iria tirar umas férias em um cruzeiro pelo Egito, um assassinato ocorre dentro do navio e fica sob seu encargo resolvê-lo. A rainha dos mistérios mais uma vez não decepciona os leitores com mais um maravilhoso e surpreendente desfecho.

Me Chame Pelo Seu Nome

Nos anos 80, Elio se apaixona por Oliver, um dos estudantes de seu pai que vinha passar o verão em sua casa de veraneio na Itália. Entre passeios de bicicleta pela cidade e tardes ensolaradas na piscina, os dois acham um tempo para se apaixonar. André Aciman soube construir um romance entre os dois rapazes com ternura e sensibilidade, fazendo com que seja impossível não se apaixonar, tanto pelos personagens quanto pelo enredo. Um livro que vai te fazer sorrir e te emocionar.

As Crônicas de Kane

Para você que acha que um livro é pouco, aqui vai uma trilogia para se apaixonar! As obras de Rick Riordan vão abordar um mundo fictício onde a mitologia egípcia faz parte do mundo que consideramos real. Carter e Sadie se vêem cobertos até o pescoço de novas informações sobre tudo que achavam que conheciam antes. Os irmãos vão em busca de inúmeras aventuras para salvar o mundo dos deuses antigos, incluindo Set, o mais perigoso de todos eles.

Contos de H.P. Lovecraft Volumes 1 e 2

Você gosta de clássicos? E de terror? Por que não leu os contos de H.P. Lovecraft antes?! Esses livros são coletâneas de algumas obras de terror do autor Howard Phillips que contam com elementos da ficção e conseguem fazer seu coração parar na boca com tamanha tensão. Mesmo falecido em 1937, Lovecraft deixou um incrível legado que inspira milhões até hoje. Sem tempo para ler? Só vem, férias!

Victória e o Patife

Para aqueles que gostam de um romance água com açúcar, o livro de Meg Cabot é a escolha perfeita! Victoria é uma jovem de 16 anos, no de 1810, que vai para Londres em busca do marido perfeito, ou pelo menos era isso que ela achava. Uma leitura rápida e encantadora da escritora da série de livros “O Diário da Princesa”.

Divergente

Aqui vai mais uma trilogia emocionante para você. O enredo da saga “Divergente” se passa em um futuro distópico onde as pessoas são divididas em facções: audácia, erudição, amizade e abnegação. Aqueles que não seguem o padrão são chamados de divergentes e devem ser eliminados da sociedade. Beatrice se vê nessa situação quando obtém os resultados do seu teste de aptidão. Ela decide se juntar com outro enorme grupo de divergentes para derrubar o sistema de facções. Ação é tudo que não falta em todos os livros. Os personagens cativam e a escrita de Veronica Roth está sensacional, com certeza vai fazer suas férias valerem a pena! Se ainda achar que foi pouco, a autora escreveu um pequeno spin-off contando algumas das cenas na visão de Quatro, um dos personagens principais.

Texto por Victória Lopes

Tenha uma relação saudável com seu grupo

Não são todos que conseguem formar um grupo antes de fazer as inscrições dentro dos eixos ou então achar amigos próximos com interesses em comum para fazer o trabalho. Muitas vezes você acaba tendo que fazer o grupo com pessoas que não se relaciona ou nem conhece, mas isso não é tão ruim quanto parece! Priorize sempre o Projeto de Iniciação Científica (PIC), trabalhem juntos sempre que puderem e peçam ajuda para o seu orientador ou para a Cláudia, caso aconteça alguma desavença. Manter uma relação saudável com seu grupo é o passo mais importante para apresentar um trabalho digno de 10 no fim do ano.

Organize seu tempo

Não vamos negar que fazer um PIC é extremamente trabalhoso e requer muito tempo e esforço. Embora pareça impossível, tem como não entrar em desespero no meio de tantos relatórios e artigos. No ensino médio não há muito tempo livre, mas é sempre bom reservar um momento, nem que sejam 15 minutos, para fazer leituras que possam ser interessantes para o trabalho. Então é só juntar com as leituras dos outros membros do grupo para compor o PIC perfeito.

Preste atenção nas datas de entrega

É comum ver várias pessoas trabalhando que nem loucas um dia antes de entregar o relatório, o plano de pesquisa ou uma lição de casa qualquer. Muitas vezes não há mais computadores vagos e nem todo mundo consegue terminar a tempo. Para não passar por essa terrível situação, procure adiantar o trabalho ao máximo. Depois de cada reunião, atualize o trabalho com novos conteúdos e, sempre que tiver um tempo livre, encontre com seu grupo para concluir o projeto. Além disso, marque todas as datas na sua agenda para não esquecer e ter que fazer na hora. Isso beneficia a você e a um pobre necessitado que não leu o FalaJP!

Faça uma boa apresentação

O trabalho pode estar maravilhoso, mas quando setembro chegar não é só isso que vai te tirar de uma possível recuperação! A apresentação oral junto com o power point define uma crucial parte da sua nota, então é bom nunca comer bola. Monte os slides de acordo com o que você e seu grupo pretendem falar e deixem dicas estratégicas caso esqueça alguma fala. Tente não ficar nervoso e trate a apresentação como uma conversa. É como explicar a sua série favorita para seu amigo!  

Administre o estresse

O PIC é importante, mas você é mais! Nunca se sobrecarregue demais com o que você tem que fazer. Leia o que conseguir e tire um tempo de descanso. Se sentir que vai acabar fazendo o trabalho todo pelo grupo, converse com seu orientador para resolver a situação mas, para isso, esteja com o trabalho em dia e não em cima da hora!

Não entre em pânico!

Caso tudo esteja dando errado não se desespere! Converse com seu grupo e busque meios de ajustar aquilo que parece estar perdido. Dentro da biblioteca da escola estão disponíveis os trabalhos de grupos dos anos anteriores para dar uma olhada e buscar ajuda. Plágio é crime, mas ler para auxiliar na formatação, escrita e produção do trabalho não é!

Trate o PIC com importância

O Projeto de Iniciação Científica, embora pareça algo que vai testar sua paciência, vai te ajudar muito quando você entrar na faculdade e tiver que fazer o famoso TCC! Trate o PIC com a devida importância e se esforce para fazê-lo, mesmo que você não goste e ache tudo isso uma perda de tempo. Acredite quando os professores e orientadores dizem que ele vai ser extremamente útil no seu futuro, eles só apresentam fatos.

Texto por Victória Lopes

  • The Society

Sendo o mais recente lançamento original da Netflix, “The Society” chegou com tudo. O seriado vai contar a história de um grupo de adolescentes de West Ham que vão retornar à cidade e encontrar a mesma completamente vazia. Todos desapareceram e os meios de comunicação estão cortados. A partir desse momento os jovens têm que se virar sozinhos e sobreviver na cidade abandonada. A série é a melhor opção para aqueles que estão procurando por um bom mistério para o fim de semana, são apenas dez episódios de quarenta minutos que vão fazer você devorar a temporada como se fosse um balde de pipoca! “The Society” ainda tem chances de se renovada para mais uma excelente temporada, o que você está fazendo que ainda não viu?

Foto: Divulgação Netflix
  • One Day at a Time

A série gira em torno de uma família latina, os Alvarez, que agora moram em Los Angeles. São três temporadas com cada uma treze episódios de vinte e cinco minutos. Mesmo sendo uma sitcom, seriado que se baseia em comédia com risadas da plateia, a série consegue abordar perfeitamente questões atuais de tamanha importância como vícios, a questão LGBTQ+, transtornos mentais, feminismo e racismo. O seriado trabalha com piadas inteligentes e passa uma mensagem que vale a pena ser pensada sem prejudicar o decorrer da trama, além de conter um elenco sensacional que se encaixou nos papéis de maneira excelente. Ideal para o fim de semana.

Foto: Divulgação Netflix
  • The Haunting of Hill House

Para os amantes de terror, a série original da Netflix tem dez episódios que vão te deixar de cabelo em pé! A história da família Crane altera entre o presente e o passado, onde tudo se conecta com a casa em que moraram por um breve período de tempo. Cada episódio dura entre quarenta a cinquenta minutos e ainda consegue te deixar com um gostinho de quero mais! Uma segunda temporada foi confirmada para 2020 trazendo outra história completamente diferente sem deixar a história prolongar e ficar entediante. Ainda tem muito tempo para pegar um fim de semana vazio e ficar no sofá maratonando “A Maldição da Residência Hill”!

Foto: Divulgação Netflix
  • The Alienist

Quem não consegue resistir a tentação de resolver os crimes junto das telonas também não vai conseguir parar de ver essa série! Após um assassinato de um jovem garoto que se vestia de menina para trabalhar em um prostíbulo, um psicólogo criminal, um ilustrador de jornal e uma secretária de polícia se comprometem a achar o culpado do crime. A série está sendo cogitada para uma segunda temporada com o mesmo elenco e uma trama completamente diferente. Ainda tem tempo de ver e aproveitar! São apenas dez episódios completamente instigantes que valem muito a pena!

Foto: Divulgação Netflix
  • Conversations with a killer: The Ted Bundy Tapes

Diferente das séries convencionais, “Conversando com um serial killer: Ted Bundy” é um documentário de quatro episódios relatando a complexa investigação policial no caso de Theodore Robert Cowell, nos anos 70. Ted, como é conhecido, matou em um período de cinco anos mais de 35 mulheres e deu trabalho para a polícia encarregada do caso. O documentário vai abordar o ponto de vista do assassino em série nos capítulo de cinquenta minutos, o último tendo uma hora e dez. Se você é uma daquelas pessoas que adora acompanhar de pertinho os casos detalhe por detalhe, essa série é vai te deixar grudado na televisão!

Foto: Divulgação Netflix
  • Big Mouth

Se você curte “Os Simpsons” e “South Park”, “Big Mouth” é uma série animada que não pode deixar de estar na sua lista! A trama vai se passar no ponto de vista de pré-adolescentes passando pela famosa, e às vezes assustadora, fase da puberdade, onde os jovens ainda estão se descobrindo de dentro para fora, tendo suas primeiras paixões e passando por tremendas dificuldades. São duas temporadas com dez episódios de vinte minutos cada e um especial de dia dos namorados com quarenta. Perfeito para dar umas boas risadas naquele fim de semana com chuva!

Foto: Divulgação Netflix
  • Jessica Jones

Jessica Jones é originalmente uma personagem dos quadrinhos da Marvel e está presente nas edições de “Os Defensores”, fazendo parte do grupo junto com o Demolidor, Punho de Ferro e Luke Cage. A trama vai focar na heroína em seus dias ruins, onde ela recusa sua identidade e passa a ser atormentada pelo seu passado. O seriado tem duas temporadas com treze episódios e tem uma temporada nova prevista para lançar em junho. Tem tempo suficiente para acompanhar os novos episódios que prometem muitas cenas de ação!

Foto: Divulgação Netflix

Texto por Victória Lopes

1- Prioridades

Procure sempre começar a fazer as tarefas que tem o prazo de entrega mais curto.

2- Listagem

Faça uma lista com todos os seus afazeres e compromissos, se necessário organizar com canetas coloridas e post-its.

3- Importância

Se por algum motivo não for possível fazer tudo, selecione aqueles que você considera mais importante de acordo com seu próprio critério. O mesmo serve para suas atividades.

4- Alertas

Caso você tenha medo de esquecer algum compromisso, coloque alarmes em seu telefone e escreva recados em sua agenda.

5- Tempo

Não tente fazer tudo ao mesmo tempo, realize um trabalho de cada vez e se faltar alguma coisa deixe para o dia seguinte. Se uma das lições for para a última hora, tente dormir mais cedo e acordar mais cedo para fazê-la, funciona melhor do que dormir mais tarde.

6- Colisões

Procure deixar espaços livres entre seus afazeres caso algum imprevisto aconteça, assim não vai se preocupar em fazer tudo correndo.

7- Distrações

Evite contato com aparelhos eletrônicos para focar em poder terminar suas tarefas a tempo, assim não vai se distrair e nem precisar se preocupar com o tempo.